fbpx

Procurar por novas postagens

Quais são os desafios e soluções de cabeamento para a Indústria 4.0?

Quais são os desafios e soluções de cabeamento para a Indústria 4.0?

A indústria está se reinventando com a personalização e customização de produtos, a fim de atender consumidores mais exigentes. Esse fenômeno é conhecido como Quarta Revolução Industrial ou indústria 4.0, que visa trazer inteligência, eficácia, aumento da produtividade através da conexão de todos os sensores, máquinas e sistemas. Nesse cenário, a conectividade assume esse papel importe, devendo ser robusta e confiável.

O desafio na utilização de cabeamento estruturado Ethernet no chão de fábrica é adequá-lo às condições extremamente agressivas, onde poeira, umidade, vibração, óleo, interferência eletromagnética, presença de agentes químicos, entre outros fatores críticos são comuns, e podem afetar a confiabilidade e resiliência da rede de dados.

A solução Furukawa para Indústrias permite a instalação de pontos de rede sob as condições mais adversas.

As tabelas abaixo ilustram: 1- as principais diferenças entre os ambientes administrativos/comercial e o industrial/fabril, 2 – o padrão de nomenclatura do índice de proteção contra exposição poeira e água.

Confira algumas dicas de como ter sucesso na sua instalação de cabeamento.

No projeto deverá ser avaliado a topologia mais adequada, o tipo de cabeamento (cobre ou ótico), a necessidade de blindagem, o tipo do material da capa e a capacidade do instalador em seguir as boas práticas. Afinal, de nada adianta o investimento em produtos de última geração de redes se a instalação deixar a desejar.

Confira os principais pontos que devem ser observados na instalação:

• Lançamento – um ponto importante é a carga de tração máxima neles aplicada durante seu lançamento. O objetivo é garantir que não haja alteração nas condições de trançamento e isolação dos cabos de cobre ou nas condições originais das fibras óticas. Os raios de curvatura mínimos também devem ser respeitados para evitar interferência no sistema.

• Infraestrutura – o compartilhamento com a rede elétrica é possível em eletrocalhas, leitos e canaletas, devendo ser respeitadas as distâncias de acordo com as recomendações ANSI/TIA-569. No caso de tubulação, cada sistema deve ter uma infraestrutura independente.

• Conectorização – Deve-se evitar ao máximo destrançar em excesso os pares dos cabos de cobre. e na fusão de cabos óticos, deve-se atentar na configuração do tipo da fibra na máquina, no uso correto do decapador, na utilização de clivador de precisão e na limpeza das fibras.

• Racks, caixas de passagem e DIO – precisa respeitar os raios de curvatura e estar organizados em chicotes amarrados por velcros. Cuidado com as abraçadeiras plásticas que dificultam a manutenção e podem estrangular os cabos.

• Identificação – é importante nos cabos de cobre ou fibra óptica, pois facilita a vida de quem vai manter a rede no dia a dia, tornando mais ágil a resposta no caso de manutenções ou remanejamentos.

• Certificação – verificar se atende às condições de performance por meio de equipamentos específicos. Nos cabos de cobre, o certificador avaliará a interferência e uma série de outros aspectos elétricos. Nas fibras óticas, o power metter, fonte de luz e/ou OTDR avaliarão a atenuação, distância, etc.

Você conhece o Guia de Aplicação Manufacturing Furukawa? Faça o download abaixo e converse com a gente.

Por: TIGS

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *